fbpx

Alavancagem em Trading: Margens, Fórmulas e Relação com o Risco

A alavancagem que, tal como a palavra indica, vem de alavanca, é um conceito frequentemente utilizado em vários mundos diferentes.

É um conceito usado tanto na óptica dos mercados financeiros (alavancagem em trading), como na óptica empresarial (alavancagem duma empresa) como até no mundo imobiliário, em hipotecas.

Neste artigo iremos focar-nos na explicação de alavancagem como conceito e aclarar o que é especificamente para o caso do trading.

?cid=589647 | Alavancagem em Trading: Margens, Fórmulas e Relação com o Risco

O que é a alavancagem?

No mundo económico-financeiro, alavancagem (leverage em inglês) é o uso de fundos emprestados (dívida) com a expectativa de que os resultados provenientes do uso do capital disponível (fundos próprios) em conjunto com o capital disponibilizado (dívida) excedam o investimento total (fundos próprios + dívida) numa ordem de vários múltiplos e, geralmente, atinjam um valor bem mais elevado do que poderia ser atingido se não se tivesse recorrido a fundos emprestados.

Na óptica dos mercados financeiros, alavancagem em trading (leverage trading em inglês) consiste em usar capital emprestado por um corretor em conjunto com o nosso próprio capital para poder investir mais dinheiro numa determinada posição sem necessitar de tantos fundos.

Numa frase: a alavancagem em trading permite ao investidor abrir uma posição consideravelmente maior do que o capital de que dispõe na sua conta de trading.

A alavancagem em trading em si é o rácio proveniente do quociente entre o montante que o investidor aplicou do seu próprio dinheiro e o montante com o qual abre a posição de facto. Geralmente é expressa no formato “X:1”.

Exemplo: Se tiver €10 e usufruir de alavancagem para comprar uma acção de €100 com €90 emprestados, a alavancagem seria o empréstimo que me foi fornecido pelo corretor e seria uma alavancagem de 10:1.

Trading de margem

Apesar de não ser a mesma coisa, trading on margin é fundamentalmente o mesmo princípio. Aliás, a margem é usada para criar a alavancagem.

Margem é a quantidade de dinheiro necessária como um “depósito de boa fé” para abrir uma posição com seu corretor/banco.

Uma das diferenças mais características é o facto da margem ser expressa em percentagem do depósito requisitado e não em rácio, como a alavancagem em trading.

Pares de DivisasRácio de AlavancagemMargem Requerida
EUR/USD20:15%
GBP/USD8:112,5%
USD/CHF25:14%
Exemplos de Margens correspondentes aos respectivos Rácios de Alavancagem

Sendo ambos o mesmo princípio, porquê o foco em diferenciar entre as duas?

Porque uma percepção do conceito de margem vai ser crucial para entender uma das características da alavancagem em trading que abordaremos mais à frente

Como funciona?

Por vezes um investidor pode ter como parte da sua estratégia de investimento aumentar a sua exposição com o mínimo de investimento próprio possível. Caso seja esse o caso, o investidor recorreria então à alavancagem em trading.

Para isso seria necessário abrir uma conta que permita trading com margem (margin trading account, em inglês). De seguida, a alavancagem é aplicada, em múltiplos (2x, 5x, 10x…), e o corretor empresta ao investidor o respectivo múltiplo da quantia que este pretenda aplicar sobre o capital saído do seu próprio bolso.

Pode usufruir-se de alavancagem em trading tanto em posições de compra (longas) como de venda (curtas) e pode ser usada na troca de instrumentos financeiros como acções, divisas, índices, matérias-primas e até criptomoedas.

?cid=589647 | Alavancagem em Trading: Margens, Fórmulas e Relação com o Risco

Cada um destes instrumentos tem um limite máximo do múltiplo de alavancagem que lhe pode ser aplicado, limite esse varia consoante a regulação/supervisão a que a corretora onde abrir conta está sujeita.

Alguns exemplos de entidades reguladoras comuns no mercado de retalho são:

  • European Securities and Markets Authority (ESMA);
  • Cyprus Securities and Exchange Comission (CySec)
  • Financial Conduct Authority (FCA)
  • Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)

Com todos os aspectos referidos é importante ressalvar que para além de multiplicar os lucros, a alavancagem multiplica também as perdas. Ou, por outras palavras: quanto maior a alavancagem maior o risco para o investidor.

Fórmulas e explicação

Imaginemos que na nossa conta temos €1000 e queremos comprar acções da empresa XPTO, cujo preço por acção é de €1.

Exemplo 1: Trading sem alavancagem

Com os nossos €1000 compramos €1000 acções.

Se o preço da acção subir 10% podemos sair da nossa posição a um preço por acção de €1,10.

Resultado: 1000 x €1,10 = €1100
Lucro: €1100 – €1000 = €100 (ou 10%)

Exemplo 2: Trading com alavancagem

Com os nossos €1000 numa margin trading account decidimos tomar partido de uma alavancagem de 2:1 adquirindo assim 2000 acções investindo apenas €1000.

Sendo assim teríamos:
Margem: €1000
Exposição: €2000

Se o preço da acção subir 10% poderíamos sair da nossa posição a um preço por acção de €1,10. O que daria:

Resultado: 2000 x €1,10 = €2200
Lucro: €2200 – €2000 = €200 (ou 20%)

Como se pode ver, usando um rácio de alavancagem de 2:1 conseguimos transformar um lucro de 10% num lucro de 20%, duplicando o valor que obteríamos sem alavancagem.

Mas, e se o preço da acção comprada em vez de ter subido 10% tivesse descido?

É aqui que entra em acção o conceito de margem:

Margem Inicial, de Manutenção e Margin Call

Para garantir que os investidores irão corresponder com as suas obrigações pecuniárias (caso as suas posições percam valor), nas posições com alavancagem as corretoras estabelecem margens iniciais e margens de manutenção.

Estas margens funcionam da seguinte forma:

Exemplo 3:

Imaginemos que a nossa corretora estabeleceu uma margem inicial de 50% (o mínimo requerido para valores mobiliários nos EUA – Regulation T) e uma margem de manutenção de 25%.

Pegando no exemplo anterior, temos então os seguintes dados:

Margem: €1000
Exposição: €2000
Preço por Acção: €1,00
Margem Inicial: 50% = €1000
Margem de Manutenção: 25% = €500

No entanto, em vez do preço por acção subir 10%, desta feita desce 20%.

Então teremos:
Resultado: 2000 x €0,80 = €1600
Perda: €2000 – €1600 = €400
Margem: €1000 – €400 = €600

Neste caso a nossa margem ficou nos €600 e não ultrapassou a margem de manutenção, por isso, se estivermos confiantes na nossa posição e de que esta vai voltar a subir de valor podemos continuar com as acções da XPTO em nossa posse sem que nada nos seja exigido.

—————————————————————————————————–

Mas, passado uns dias, o preço da acção volta a cair e desta vez tomba para os €0,70.

Aí os valores seriam os seguintes:
Resultado: 2000 x €0,70 = 1400
Perda conseguinte: €1600 – €1400 = €200
Margem conseguinte: €1000 – €400 – €200 = €400

Ora, neste caso, a margem que nós tínhamos inicialmente já desceu para níveis inferiores aos da margem de manutenção que nos foi imposta o que significa que é altura de finalmente entrar em acção o terceiro termo deste sub-título: a margin call.

Alavancagem em trading: Margin call
Ao contrário do que possa parecer uma margin call não envolve necessariamente uma chamada

Uma chamada à margem acontece quando a nossa posição alavancada perde valor em relação ao ponto da nossa margem inicial passando a ser inferior à margem de manutenção que foi acordada. Nestes casos as corretoras, usualmente, não deixam criar mais dívida do que o nível de margem de manutenção – as posições são fechadas e as perdas assumidas.

Ou seja, com o preço da acção da XPTO a €0,70 seríamos obrigados pela nossa corretora a depositar na nossa margin trading account outros €600 para além dos €1000 que já lá tínhamos posto, levando a um gasto superior do que o que planeávamos inicialmente.

Alavancagem em Trading: Friend or Foe?

Alavancagem em Trading: Friend or Foe?

Como verificámos , a alavancagem pode ser extremamente benéfica ou problemática para o investidor, dependendo o resultado do seu uso de vários factores muitas vezes externos ao investidor.

Sem dúvida que é uma ferramenta muito util para os investidores. No entanto, o seu uso irresponsável pode pôr qualquer investidor em maus lençóis.

Tendo tudo isso em conta, a resposta à pergunta do sub-título dependerá de quão confortável o investidor se sinta com o risco.

Aversão ao Risco

Um investidor veementemente averso ao risco provavelmente irá tender a afastar-se do uso da alavancagem em trading por muito que esta ferramenta possa permitir aumentar exponencialmente o valor do seu portfolio.

Para além disso, se for um investidor com uma estratégia de longo-prazo de comprar e manter posições durante vários períodos de tempo, provavelmente a alavancagem não vai ser a melhor ferramenta à disposição: é normal o preço das acções subirem e descerem com o tempo (a chamada volatilidade), o que pode despoletar vários fechos de posição inesperados.

Já alguém que se sente confortável a lidar com o risco provavelmente não terá problema em utilizar alavancagem por muito que isso possibilite que tenha perdas maiores caso o investimento corra mal.

Ou, caso um investidor esteja inclinado para uma futura flutuação de valor repentina num determinado ativo, e esteja convicto de que é uma excelente oportunidade para capitalizar sobre essa variação de valor momentânea. Nesse caso, a alavancagem é uma excelente ferramenta para capitalizar ainda mais sobre as suas convicções.

Resumindo: Os benefícios ou desvantagens da alavancagem dependerão do investidor e do uso que lhe decidir dar, e tanto poderá ser o seu impulsionador de rentabilidade como o carrasco da sua conta.

Alavancagem em trading: Pros

  • Pode aumentar o lucro

O primeiro e, de alguma forma, o mais importante benefício do uso da alavancagem é que podemos lucrar mais com menos esforço dado o papel principal da alavancagem ser aumentar o possível retorno dos nossos investimentos subindo a parada.

  • Maior eficiência de capital

Ao mesmo tempo, aumentar o retorno que podemos obter com o mesmo capital investido automaticamente eleva a eficiência com que estamos a utilizar o nosso capital. Se com €100, pelo mesmo investimento, consigo obter €200 em vez de €150 no mesmo espaço temporal, então utilizei o meu capital de forma mais eficiente.

  • Uma forma de mitigação contra volatilidade baixa

Outra das vantagens é oferecer uma alternativa a sectores ou mercados com baixo risco. Geralmente posições em mercados mais voláteis são as que oferecem um maior retorno (e perda) porque o mercado sofre oscilações maiores que outros mais estáveis.

Sendo assim, em mercados ou sectores menos voláteis, a alavancagem em trading providencia uma boa alternativa para ”apimentar” o uso do nosso capital num mercado mais estável.

Alavancagem em trading: Contras

  • Pode aumentar as perdas

Da mesma forma que tem a possibilidade de aumentar os retornos, ao multiplicar o valor daquilo que está em jogo, a alavancagem em trading também pode ser a causa de perdas elevadas e acabar por custar ao investidor bem mais do que este planeava.

  • Alavancagem como responsabilidade constante

Para além disso, alavancar parte de um investimento constitui imediatamente uma responsabilidade adicional para o investidor.

A partir do momento em que a assume, o investidor já não tem que se preocupar apenas com o retorno do seu capital, mas também com a garantia de que o usufruto da alavancagem tenha retorno suficiente para ter valido a pena.

  • Custos de financiamento

Não se ficando por aí, a alavancagem tem custos inerentes ao seu uso independentemente do seu resultado final.

Como é óbvio, usufruir de dinheiro emprestado pelas corretoras incorre em custos. Custos esses que podem ser certas comissões cobradas para que ocorra o empréstimo ou juros sobre o empréstimo obtido.

Este tipo de custos pode fazer com que acabemos por perder dinheiro mesmo numa posição alavancada em que até consigamos atingir um break-even.

Nota: Break even é o ponto em que o resultado atinge os gastos com o investimento. ou seja quando o resultado da sua posição é menor que 0.

Conclusão

Tal como tudo, a alavancagem tem as suas vantagens e desvantagens e não nos cabe a nós decidir qual dos lados tem mais peso ou relevância. Mas uma coisa é certa, será com certeza mais facilmente um foe para quem não esteja devidamente informado sobre ela – e é precisamente isso que pretendemos mitigar com este artigo.

?cid=589647 | Alavancagem em Trading: Margens, Fórmulas e Relação com o Risco
Sobre o Autor:
Produtor de Conteúdos - Jornal da Moeda

Licenciado em Finanças Empresariais pelo ISCAL, exerce actualmente o cargo de Assistente de Auditoria na Moore Stephens Portugal

Citação:
"A humanidade evoluiu através da transferência constante entre os seus constituintes daquilo que foram aprendendo e assimilando. É um prazer contínuo ter a oportunidade de poder dar a minha contribuição."

Deixa um comentário