fbpx

Criptomoeda XRP: Ripple o que é e como funciona?

A Ripple representa um dos projetos mais populares no universo das criptomoedas, chamando a atenção de investidores institucionais como o Santander ou a Google, e com a sua criptomoeda – XRP – a ocupar a terceira posição em capitalização de mercado.

Contudo a sua filosofia e aplicação diferencia-a dos restantes projetos do meio. Sabe porquê?

O que é a Ripple?

Quando se fala geralmente em Ripple tende a confundir-se a criptomoeda, a tecnologia e a empresa. Assim, Ripple enquanto projeto tecnológico foi idealizado em 2005 por Ryan Fugger sob o nome de XRPL (Ripple Ledger) cuja criptomoeda nativa era a XRP. Contudo, o projeto teve continuidade pelas mãos de Jed McCaleb e Chris Larsen, co-fundadores da empresa Opencoin, em 2012, renomeada de Ripple Labs em 2013 e finalmente, em 2015, somente Ripple.

Assim temos:

  • XRP Ledger: a tecnologia.
  • XRP: a criptomoeda.
  • Ripple: a empresa.
INVESTIR EM XRP

Como funciona a XRP Ledger (XRPL)?

A tecnologia por trás da Ripple tem por base um leger, ou livro de registo digital, onde são validadas e registadas todas as transações.

XRP UNL | Criptomoeda XRP: Ripple o que é e como funciona?
Fonte: Binance

Este ledger é partilhado por uma série de nodes ou nódulos que podem ser geridos por qualquer pessoa ou instituição. Contudo a Ripple possui uma lista de nódulos – Unique Node List (UNL) – que recomenda aos seus utilizadores.

A cada um destes nódulos é possível escolher aqueles a que se pretende conectar. Tal, torna a rede mais credível pois evita nódulos que se possam considerar “perversos” geridos por terceiros menos amigos das instituições que usam a rede.

Ao passo que em redes como a Bitcoin o consenso entre os participantes é alcançado através da mineração, no caso particular da Ripple não existe mineração no sentido de validar as transações. A validação pelos nódulos e o consenso entre estes ocorre através de um protocolo chamado RPCA: Ripple Protocol Consensus Algorithm.

Para que as transações sejam validadas, estas devem ser votadas e aprovadas por pelo menos 80% dos nódulos da rede. Se este número não for atingido, a rede pára até que uma decisão seja tomada.

Como não existe mineração numa lógica de Proof of Work, a Ripple é energeticamente mais eficiente. Contudo, também não existe uma recompensa pela gestão e validação de transações de um nódulo.

Para que serve a criptomoeda XRP?

A XRP é a principal criptomoeda da XRP Ledger. A sua principal função consiste na transferência de valor entre entidades dentro da rede.

A XRP não é minerada nem forjada. Todas as XRP foram previamente criadas, aquando do lançamento do projeto, num total de 100 mil milhões e foram distribuídas da seguinte forma:

  • 20 mil milhões para os fundadores do projeto
  • 7 mil milhões para a própria empresa, Ripple
  • 20 mil milhões foram vendidas a empresas e investidores individuais.
  • 53 mil milhões foram fechadas num smart contract que disponibiliza mil milhões de XRP por mês à Ripple Labs.

Portanto, conclui-se que 60% do total de XRP está no poder da empresa Ripple. Apesar de a maior parte do fornecimento ser controlado por um smart contract. Esta é uma das críticas mais frequentes à Ripple, o facto de mais de metade do fornecimento de XRP se encontrar concentrado na empresa que a desenvolveu. Tal deixa a interrogação…

Será que esta blockchain é mesmo descentralizada?

Alguns factos sobre a criptomoeda XRP:

1) É apenas divisível até seis pontos decimais: 0,000001
2) A unidade mais pequena é chamada de “drop”
3) As taxas de transação rondam os 0,000010 drops.
4) As taxas de transação são destruídas no processo, dando um carácter deflacionário à XRP.
5) O tempo médio de uma transação é de 4 segundos
6) A rede consegue processar cerca de 1500 transações por segundo.
7) Para criar uma carteira é necessário transferir 20 XRP para o endereço pretendido.

Casos de uso da Ripple

Desde cedo que o projeto Ripple no seu conjunto esteve focado no desenvolvimento de soluções para os bancos e instituições financeiras. O seu foco enquanto produto seria como provedor de um serviço de câmbio de moedas (real-time gross settlement – RTGS) no qual a XRP operaria como intermediária entre as várias moedas fiduciárias.

Conseguiu atrair a atenção e o capital, de instituições como o Santander, a Google, entre outros fundos de investimento e business angels. E construiu parcerias com entidades como o já referido Santander, a American Express, a MoneyGram, ou o Interbank.

Mas qual o problema que a Ripple procura resolver?

A Ripple tem como objetivo fundamental tornar as transferências financeiras internacionais mais rápidas e economicamente mais eficientes.

O problema com estas transações no sistema bancário tradicional, prende-se com o tempo e o custo. Uma transação internacional implica um tempo de espera médio entre 2 a 4 dias podendo ultrapassar este tempo. Isto agrava-se quando se trata de moedas que implicam um processo de câmbio que necessita de um ou mais intermediários e que cobram as respetivas taxas a cada conversão.

A Ripple oferece a solução apresentando-se como uma rede intermediária única de transações internacionais, em que a criptomoeda XRP opera como intermediária de câmbio entre moedas ficuciárias e até outras criptomoedas.

Contudo, as propostas do projeto vão além das simples transações monetárias, propondo toda uma rede de serviços financeiros orientado para bancos e instituições.

A RippleNet

Sobre a tecnologia da XRP Ledger, a Ripple construiu a RippleNet, uma rede de serviços financeiros com foco em 3 produtos:

  • xRapid
  • xCurrent
  • xVia

xRapid

O xRapid constitui o serviço fundamental da Ripple já aqui descrito. Permite a transferência de valor entre instituições financeiras com diferentes moedas fiduciárias, servindo a criptomoeda XRP como moeda de referência. Assim, este processo torna-se muito mais rápido e eficiente do ponto de vista económico por evitar diversas taxas de câmbio.

xRapid
Fonte: Binance

xCurrent

Trata-se de um produto orientado para empresas, permitindo pagamentos instantâneos e o rastreamento de transferências entre os membros aderentes à RippleNet. Contudo, este não aplica o XRP Ledger nem a criptomoeda XRP.

Xcurrent
Fonte: Binance

O xCurrent é construído sobre um protocolo chamado ILP (Inter Ledger Protocol), projetado pela Ripple para interconectar diferentes redes de pagamentos ou ledgers. Isto significa que este ledger pode receber informação proveniente de outros, o que inclui moedas fiduciárias e criptomoedas.

xVia

XVIA | Criptomoeda XRP: Ripple o que é e como funciona?
Fonte: Binance

xVia constitui uma rede de pagamentos padronizada (Standard Payments Interface) permitindo a execução das transações numa única rede. Para além das transações financeiras em si, permite ainda anexar faturas ou outros dados relevantes às transações.

Histórico de preço

A criptomoeda Ripple (XRP) acaba por ser algo controversa no universo das criptomoedas, pela sua orientação para as instituições financeiras tradicionais e não para os indivíduos diretamente. Porém ocupa a terceira posição em termos de capitalização de mercado. Para além disso, é um projeto que se tem demonstrado consistente desde a sua criação em 2012. E cuja empresa responsável trabalha no desenvolvimento de produtos já a serem testados no mercado.

Assim, o histórico de preço da criptomoeda Ripple (XRP) não deve ser ignorado. Conta neste momento com um ROI (Return on Investment) de 3580% desde o seu lançamento.

INVESTIR EM XRP

De 2013 a 2016

A XRP dá entrada nos mercados a 4 de Agosto de 2013 com um valor a rondar os 0,004 euros. Sim, o valor inicial era inferior a meio cêntimo. Nesse mesmo ano atinge o pico de 0,0443 euros, 9 vezes superior ao seu valor inicial e termina o ano a 0,0199 euros.

A tendência manteve-se no ano seguinte até ao seu mínimo histórico de 0,00206 euros (50% abaixo do seu valor de lançamento).

Porém no final deste período (2013-2016), o preço fixava-se nos 0,005852€ (31 de Dezembro de 2016). Tal significava, um crescimento total de 46,3% em 3 anos.

De 2017 a 2018

Em 2017 a XRP vê a sua valorização subir parabolicamente, chegando até a ultrapassar a Ether (em capitalização de mercado) por alguns dias. Assim, começa o ano atingindo um novo máximo histórico a 2 de Abril. No mês seguinte atinge novamente um máximo nos 0,34 euros.

No entanto corrige até aos 0,118 euros a 16 de Julho. E a partir desse valor vais oscilando com tendência ascendente até Dezembro desse mesmo ano.

É no último mês de 2017 que se dá a grande ascensão no valor da XRP, atingindo os 0,26 euros no dia 12 e continuando a subir exponencialmente até ao máximo de 3,33 euros.

É no decorrer de 2018 que, à semelhança do que aconteceu nas restantes criptomoedas, se dá uma profunda correção no valor da XRP, que rapidamente cai para os 0,60 euros no espaço de um mês. A tendência descendente mantêm-se ao longo do ano, registando um valor a rondar os 0,34 euros a 31 de Dezembro.

De 2019 até 2020

Neste período a criptomoeda XRP continua a sua tendência descendente, encontrando resistências em valores cada vez mais baixos:

  • Em Junho de 2018 nos 0,44 euros;
  • Em Setembro e Outubro do mesmo ano nos 0,30 euros;

Volta a tentar ultrapassar o valor dos 0,30 euros a 15 de Fevereiro de 2020 mas, incapaz de manter esse valor, rápidamente corrige numa queda que a leva abaixo dos 0,12 euros.

A partir daí até à data deste artigo registou uma tendência ascendente até aos 0,20 euros.

Na prática:
Se, a 4 de Agosto de 2013, tivesse investido 1000€ em XRP, em Maio de 2020 teria 35.800€!

Criptomoeda XRP: que futuro?

É importante perceber que a criptomoeda Ripple (XRP) representa apenas uma parte, se bem que muito importante, da totalidade da oferta tecnológica da empresa Ripple. É um projeto que, por estar orientado para os bancos e instituições financeiras afastou muitos idealista e fundamentalistas do universo das criptomoedas que vêem na Bitcoin a possibilidade de cada individuo ser o seu próprio banco.

Pode-se argumentar que a Ripple é centralizada na medida em que tem uma instituição responsável pela gestão dos projetos e que possui mais de 60% das tokens disponíveis. Contudo é de notar que o XRPL é open source, e o protocolo ocorre autonomamente.

Já em relação ao fornecimento dos tokens, este é regulado por um smart contract. É também importante lembrar que a destruição de XRP nas taxas de transação, confere um certo caráter deflacionário à criptomoeda XRP que está limitada a 100 mil milhões de unidades no total.

Por último, será importante perceber se a aceitação das suas propostas e produtos se generalizará entre os bancos e a industria financeira. Contando já com com parcerias de grande relevância como são a MoneyGram, o Santander, a American Express, a Numium ou o Interbank, o futuro da Ripple poderá ser muito promissor.

INVESTIR EM XRP
Sobre o Autor:
Produtor de Conteúdos - Jornal da Moeda

Estudante de Engenharia Informática no Instituto Politécnico de Viana do Castelo e licenciado em Antropologia pela Universidade de Coimbra em 2012, de onde herdou a curiosidade pela escrita e o hábito de desconstruir crenças e práticas culturais e sociais.
Foi introduzido ao universo das criptomoedas em 2017 ao qual ficou imediatamente rendido. Foi ainda tradutor no projeto DaVinci/Utopian na plataforma Steem até 2019.

Citação:
"A desmistificação das criptomoedas é acima de tudo um meio para a educação financeira, questionando as próprias convenções sobre a natureza do dinheiro."

Sobre o Autor:
Fundador - Jornal da Moeda

Alumni das Universidades Católica Porto e FEP. Com experiência nas indústrias de mercados financeiros, criptomoedas e marketing digital.

Fundador do Jornal da Moeda.

Deixa um comentário