fbpx

Comité Federal dos EUA – FOMC: indica baixa taxa de desemprego e aumento da inflação como causa das baixas taxas de juro

Recentemente (nos passados dias 20 e 21 de Setembro), o Federal Open Market Committee (ou Comité Federal do Mercado Aberto, em português), reuniu para deliberar sobre as suas projecções económicas até 2025.

O Comité congregou para que os seus participantes submetessem as suas estimativas relativamente ao futuro dos principais indicadores económicos: PIB, taxa de desemprego e inflação.

Adicionalmente, forneceram também o seu julgamento sobre as medidas e políticas monetárias mais apropriadas a adoptar.

O Comitê, constituído por 12 membros – os 7 membros do Conselho de Governadores do Banco Federal, os 4 restantes presidentes do Banco de Reservas, e o presidente do Banco Federal de Nova York – completou assim a antepenúltima das suas 8 sessões anuais.

Comunicado de imprensa do FOMC

Os mais recentes indicadores apontam para um crescimento moderado da produção e do consumo. Os ganhos de emprego têm sido robustos nos últimos meses, e a taxa de desemprego tem permanecido baixa.

A inflação permanece elevada, reflectindo desequilíbrios da oferta e da procura relacionados com a pandemia, preços mais elevados dos alimentos e da energia, e pressões de preços mais amplas.

Adicionalmente, a dúzia de membros ressalvou o impacto que a guerra na Ucrânia teve em termos humanitários e económicos, produzindo pressão adicional na inflação e na economia mundial, apontando-a como o principal impulsionador da mesma.

como causas do aumento das taxas de juro, apontam a baixa taxa de desemprego e o aumento da inflação.

Em unanimidade, os 12 membros votaram de acordo com um aumento das taxas de juro americanas, estabelecendo o intervalo ideal entre os 3% e os 3,25%, o valor mais alto desde 2008.

Ressalvaram também que o Balanço do Banco Federal continuará a ser reduzido de acordo com o plano que foi anunciado em Maio. De acordo com este plano, o Fed começou a reduzir as suas participações obrigacionistas em 47,5 mil milhões de dólares por mês em Junho, Julho e Agosto de 2022, aumentando depois este montante para 95 mil milhões de dólares por mês.

Projecções Económicas até 2025

Relativamente aos indicadores económicos mais populares, a média das estimativas elaboradas por cada um dos 12 membros do Comité foi a seguinte:

Variável (%)2022202320242025A longo prazo
Variação PIB0,21,21,71,81,8
Projecção Junho1,71,71,91,8
Taxa de Desemprego3,84,44,44,34,0
Projecção Junho3,73,94,14,0
Inflação5,42,82,32,02,0
Projecção Junho5,22,62,22,0
Projecções económicas do FOMC a Setembro de 2022

Em comparação com as projecções apresentadas na reunião de Junho de 2022, as mais recentes previsões antecipam um menor crescimento real do PIB, e uma taxa de desemprego e inflação mais elevadas.

O crescimento do PIB, entre os 3 factores, foi o que sofreu uma maior correcção face à estimativa de Junho, reflectindo um ajuste das expectativas futuras do Comité. Esse ajuste tem em conta o futuro abrandamento da economia proveniente do aumento das taxas de juro, algo proposto pelo próprio Comité.

Relativamente à inflação, a expectativa do Comité é de que esta possua uma curta meia-vida, estimando que se reduza para metade no próximo ano e que se normalize futuramente.

No que concerne à taxa de desemprego, foi estimado que esta aumente em 5 pontos percentuais no ano seguinte. No entanto, dado que, historicamente, a taxa de desemprego mais baixa no início de uma recessão foi de 4,7%, uma recessão num futuro próximo não aparenta ser algo que o Comité esteja a sugerir.

Sobre o Autor:

Licenciado em Finanças Empresariais pelo ISCAL, exerce actualmente o cargo de Audit & Assurance Consultant na Deloitte Portugal

Citação:
"A humanidade evoluiu através da transferência constante entre os seus constituintes daquilo que foram aprendendo e assimilando. É um prazer contínuo ter a oportunidade de poder dar a minha contribuição."

Deixa um comentário