fbpx

Fundos de Investimento: Como Funcionam e Top Performers

O que são Fundos de Investimento?

Já pensou em investir e não sabe como começar? Tem dúvidas sobre qual a forma mais segura de aplicar o seu dinheiro? Os fundos de investimento são, sem duvida, uma alternativa que merece a atenção dos investidores.

Ao longo do artigo iremos clarificar o conceito de “fundos de investimento”, abordar os diferentes tipos, vantagens e desvantagens e ainda um conjunto de exemplos para cada tipo de fundo de investimento e as suas performances.

Tal como disse o criador do Hedge Fund Gotham Capital:

“Escolher ações individuais, sem ter qualquer ideia do que se está á procura é como correr em direção a uma fábrica de dinamite com um fósforo acesso. Podes viver, mas ainda és um idiota!”

Joel Greenblatt

Portanto, para quem não tem experiência nos mercados financeiros, mas quer investir num ativo que renda um juro, habitualmente superior ao que o que os bancos oferecem (depósitos-a-prazo ou /à-ordem), talvez seja melhor optar por fundos de investimento onde a exposição ao risco é inferior a escolher ações individuais “a olho”.

Os fundos de investimento são um instrumento financeiros onde não é o investidor(a) a escolher os ativos (ações, obrigações, etc) onde investir. Ao invés, delega essa responsabilidade a um gestor de fundos (ou fund manager) que faz a diversificação da carteira, escolhendo os ativos mais adequadas para a estratégia acordada.

Este instrumento financeiro tem a característica de incorporar investimentos de diferentes indivíduos/organizações que detêm diferentes parcelas do fundo. De forma simplista, digamos que todos têm “fatias com tamanhos diferentes do total do bolo”.

Assim sendo, na distribuição dos resultados, cada investidor recebe os lucros ou acarreta as perdas de acordo com a sua parcela do fundo.

Por exemplo:
O João investe 1.000€ num fundo de investimento que totaliza os 100.000€. Logo o João detêm 1% do bolo.

Caso o fundo atinja 25% de resultados (125.000€ no total), o João irá buscar 250€ de lucro (1% x 125.000€).

Existem vários tipos de fundos mas nenhum é melhor que os outros (per se)… O melhor será aquele que se ajusta melhor à sua expectativa futura de liquidez e à sua disponibilidade em relação à dicotomia risco/retorno.

Tipos de fundos de investimento

Os fundos de investimento podem ser classificados de acordo com a classe de ativos onde investem. De seguida apresentamos alguns exemplos:

Fundos monetários: O investimento é feito no mercado monetário, títulos de Tesouro, Depósitos a prazo, etc.); Investimentos com duração média de um ano.

Fundos de obrigações: O investimento é realizado em obrigações (ou títulos da dívida). São investimentos com duração média inferior a três anos.

Fundos de ações: A maioria do investimento é feita exclusivamente neste mercado pois têm associado maiores retornos. No entanto também acarreta maiores riscos e por isso alguns fundos de ações poderão incluir outros ativos como dívidas públicas nos seus portfolios.

Fundos de retorno absoluto: Estes fundos tendem a ser mais especulativos e têm um maior risco associado pois procuram obter retorno em qualquer situação que enfrente o mercado, independentemente da orientação da sua estratégia.

ETF (Exchanged Traded Funds): São fundos que tendem a replicar o comportamento de determinados indices (ex: SP500, NASDAQ, PSI20). Tendem a ser fundos de acesso mais fácil aos pequenos investidores.

"Ao investir periodicamente num fundo de investimento de índices, o investidor que não sabe nada pode, em boa verdade, superar a maioria dos investidores profissionais."

Vantagens dos Fundos

Gestão profissional: Gestão cabe a profissionais qualificados e com experiência no mercado de investimentos.

Liquidez – Tem uma elevada liquidez, permitindo facilmente converter as unidades de participação do fundo em dinheiro, num prazo de poucos dias.

Diversificação: Não expõe o seu dinheiro a apenas uma empresa, o risco é repartido por diversas empresas, com diversas cotas em cada um, de forma a oferecer um ativo mais “seguro” mas também mais apetecível na sua relação risco/retorno.

Transparência e Segurança: A criação de um fundo está sujeito a regras muito exigentes por parte dos reguladores, o que contribuí para um maior controlo e monitorização do que outras alternativas de investimento.

Poupança de tempo: Não precisa de seguir constantemente o decorrer da política económica global para saber quando deve comprar ou vender.

Fundos de Investimento 1 | Fundos de Investimento: Como Funcionam e Top Performers
Vantagens dos Fundos de Investimento

Desvantagens dos Fundos:

Custo: Possuem um maior custo que por exemplo os ETF’s. Também podem possuir outros custos, relativamente à transferência entre fundos, custos de assinatura e venda, entre outros.

Confiança: Visto estarmos a entregar a gestão da carteira, aos corretores, perdemos o controlo sob o mesmo, por isso temos de “confiar“, na entidade do fundo.

Escolha: Saber escolher os fundos mais apropriados ao seu perfil de investidor, e que sejam autorizados e de confiança, pois existem fundos “falsos”, que operam através de regulações que permitem actividades fraudulentas ou que não oferecem as condições que desejamos, e o inverso também vai acontecer.

Ou seja, fundos muito bons e muito atrativos, mas menos conhecidos e por não terem essa credibilidade e exposição “pensamos” que são esquemas quando na verdade não o são.

Alguns fundos têm um acesso exclusivo reservado ao pagamento de prémios de entrada que podem superar as dezenas de milhões de euros só para poder ter o seu capital aplicado nele.

Fundos de Investimento: Melhores Performers de 2019

Ações:

  1. BPI Ações Mundiais (BPI GA) – 36,83%
  2. Caixa Acções Europa socialmente responsável (CaixaGest) – 34,08%
  3. BPI América Classe D (BPI GA) – 33,83%

Obrigações:

  1. iShares iBoxx Investment Grade Corporate Bond- 4,3%
  2. Vanguard Total Bond Market -3,3%
  3. iShares Core U.S. Aggregate Bond- 3,1%

Mercados monetários/Tesouraria:

  1. UFB Direct- 1.90%
  2. BMO Harris: 1.85% 3. BBVA: 1.85%

ETF:

  1. Invesco Solar ETF (TAN) -51%
  2. iShares U.S. Home Construction ETF (ITB) -48%
  3. VanEck Vectors Semiconductor ETF (SMH) -45%
INVESTIR EM ETF

Fundos de investimento mistos:

  1. Premier Multi Asset Global Growth
    • Retorno 1 ano- 27.6%
    • Retorno 3 anos- 51.5%
  2. Artemis Monthly Distribution
    • Retorno 1 ano- 22%
    • Retorno 3 anos- 40%

Conclusão

Concluindo, se preferir diversificar ainda mais o seu portfólio, e não quiser estar dependente de apenas um tipo de investimento, pode optar por fundos mistos, que são fundos que podem conter ações, obrigações, tesouraria, etc.

A percentagem de retorno de cada um varia dependendo do fundo e das suas estratégias e decisões. Deverá informar-se acerca da estratégia e da relação de risco que se pratica em cada fundo que pondera investir.

De realçar que existe risco em qualquer um dos tipos de ativo que escolher, deve consultar um gestor profissional, ou então pelo menos fazer uma pesquisa sobre o fundo, a sua performance nos últimos anos, os custos associados, a sua reputação e estratégia entre outros fatores que devem ser considerados antes de investir o seu capital.

Em particular apresento o caso do PSI-20, que tanto nos últimos 5 anos, como no último ano, tem tido um desempenho negativo.

Psi-20 2015 a 2020
PSI20 de 2015 a 2020

Por fim, deixando uma mensagem, do maior guru dos investimentos, que de um momento para o outro se tornou dos homens mais ricos do mundo, apenas a investir o pouco que tinha com paciência e sensatez.

“Investir é simples mas não fácil”

Warren Buffet

E também deixa uma mensagem de força e persistência para todos aqueles que querem lutar pela independência financeira e pela liberdade de desfrutar da vida e do mundo através dos seus investimentos.

"Se não arranjar uma maneira de ganhar dinheiro enquanto dorme, vai trabalhar até morrer."
Sobre o Autor:
Isaac Castanheira
Isaac Castanheira

Estudante Tecnologias e Sistemas de Informação

Deixa um comentário