fbpx

Pós-Covid19: Quais as Previsões da Comissão Europeia?

No dia de hoje, 06 de maio de 2020, a Comissão Europeia divulgou as suas Previsões Económicas da Primavera – ou Spring Economic Forecast – em que revela o que esperar no pós-Covid19.

Centradas na questão do coronavírus, as previsões apontam uma contração média de 7,7% do PIB na União Europeia. Espera-se que esta seja uma das piores recessões alguma vez vista.

Portugal tem uma expetativa melhor do que a média europeia, com uma contração do PIB nos 6,8%. Contudo, espera-se que a recuperação económica nacional seja mais difícil no ano que se segue, quando comparada com o resto do mundo..

INVESTIR AGORA

O que são as Previsões Económicas da CE?

Trata-se de um documento, publicado pela Comissão Europeia que apresenta uma projeção económica para as seguintes regiões:

  • União Europeia;
  • Zona Euro;
  • Cada um dos estados membros;
  • Algumas das maiores potências mundiais (ex: EUA);
  • Países candidatos à entrada na União Europeia.

Nas previsões são considerados um conjunto de cerca de 180 variáveis económicas e um horizonte temporal de 2 anos.

Todos os anos, a comissão europeia divulga duas previsões completas, uma no outono e outra na primavera. A par destas duas, são publicados mais dois documentos, um no verão e outro no inverno, com análises intermédias.

Vejamos as principais conclusões dos documentos hoje publicados…

Previsões para o Pós-Covid19

As Previsões Económicas da Primavera de 2020 prestaram especial atenção aos impactos da pandemia e à recessão que já começamos a sentir.

“No corrente trimestre, o output económico da União Europeia foi, aproximadamente, 16% mais baixo do que no último trimestre de 2019.”

Comissão Europeia em “Previsões Ecónomicas da Pimavera 2020” – 06 de maio

A questão central das projeções hoje apresentadas é “quão profunda a recessão económica será e quanto tempo irá durar?“.

Obviamente a resposta está dependente de diversos fatores, tais como a evolução da pandemia e a forma como o vírus se irá propagar no futuro, a duração da interupção da atividade económica e a eficiência das políticas adotadas pelos governos responsáveis.

Para além de tudo isto, é constantemente referida a incerteza no futuro que poderá influenciar fortemente todas as projeções apontadas.

Previsões para a Europa

“Dada a severidade e a falta de precedentes deste choque económico mundial, está agora claro que a União Europeia entrou na recessão mais profunda da sua história.”

Comissão Europeia em “Previsões Ecónomicas da Pimavera 2020” – 06 de maio

O gráfico abaixo revela uma comparação entre a recessão pós-Covid19 e a crise financeira de 2008.

Comparação crise de 2008 e previsões pós-Covid19
Comparação crise de 2008 e previsões pós-Covid19

De acordo com as Previsões Económicas da Primavera, o PIB da zona euro irá cair cerca de 8% em 2020 voltando a subir 6%, aproximadamente, no ano de 2021. Se assim for, o PIB em 2021, pós-Covid19, ficará apenas 2pp abaixo de 2019, no momento pré-pandemia. Contudo, estes valores continuarão significativamente abaixo das projeções apontadas no outono e no inverno.

O mesmo cenário permanece quando mudamos para uma análise global. O PIB mundial excluindo a UE, no ano corrente, irá contrair cerca de 3%, de acordo com as previsões. A tendência altera-se no ano de 2021, em que é esperado um aumento de 5% do PIB. Como resultado, este indicador ficará 2pp acima do valor de 2019, pré-pandemia, mas abaixo das previsões anteriores.

Resumidamente, os dados para a UE evidenciam uma recuperação mais difícil quando em comparação com o resto do mundo.

Por toda a Europa, um vasto conjunto de medidas está a ser adotado com os principais objetivos, propostos pela Comissão Europeia pela seguinte ordem:

  1. Reduzir o número de infeções e prevenir a sobrecarga dos sistemas de saúde;
  2. Minimizar o impacto económico pós-Covid19;
  3. Providenciar suporte que fomente a recuperação da situação ecnonómica, após o controlo da pandemia.

Qual o Impacto na Inflação?

Acredita-se que a taxa de inflação irá “desacelarar” em 2020, voltando a subir moderamente no ano seguinte.

Estes dados resultam de uma pressão decrescente sobre o nível de preços, que é reforçada pela grande queda no preço do petróleo e pela situação de deterioração no mercado de trabalho.

Aprofundando mais um pouco, a pressão sobre os preços domésticos irá diminuir no período pós-Covid19. É expectável que a fraca procura afete as margens de lucro das empresas, o que implica um impacto direto dos salários e consequentemente dos preços.

Mais ainda, as possibilidades para aumentos salariais mostram-se quase inexistentes nos próximos 2 anos como resposta, mais uma vez, à deteriorização do mercado de trabalho.

Qual o impacto no mercado de ações?

As bolsas começaram o ano com valores bastante generosos, mas foram fortemente afetadas após o início da pandemia.

Performance do Mercado de Ações na UE
Performance do Mercado de Ações na UE

Entre 24 de fevereiro e 24 de março, os índices das ações europeias caíram a uma velocidade recorde para valores entre os -35% e os -45%. Tal, pode significar uma excelente oportunidade para traders e investidores.

INVESTIR EM AÇÕES

Em meados de março, as entidades reguladoras de mercados financeiros em vários estados membros da União Europeia adotaram proibições de short-selling por um período limitado.

Para além disso, a European Securities and Markets Authority (ESMA) tomou a decisão de exigir temporariamente aos titulares de short
positions
em ações negociadas no mercado da UE que notifiquem as autoridades nacionais competentes caso a posição alcance ou exceda os 0.1%, do capital social em questão.

Graças a estas decisões, assim como às medidas monetárias e fiscais anunciadas pela União Europeia, o mercado de ações tem recuperado parte das suas perdas.

Previsões para Portugal

De acordo com a Comissão Europeia no documento anteriormente referido, o PIB de Portugal irá sofrer uma contração de 6.8%. Embora o cenário não seja muito animador, este valor encontra-se abaixo da média europeia, que aponta uma contração do PIB da UE de 7.7%.

Após um crescimento de 2.2% em 2019, preve-se agora que a economia venha a contrair no pós-Covid19. Porém, em 2021 espera-se que seja registada uma expansão de 5.8% do PIB para valores que continuarão inferiores aos de 2019.

Em 2019, cerca de 8.6% do PIB português acentava no turismo estrangeiro. Esta atividade será fortemente afetada devido à pandemia, o que implica, consequentemente, uma quebra siginificativa nos valores do PIB.

Previsões Económicas Portugal Pós Covid19 | Pós-Covid19: Quais as Previsões da Comissão Europeia?
Previsões Económicas Portugal – Pós-Covid19

O choque da Covid-19 resultou num aumento do desemprego em Portugal, durante o mês de março. Enquanto que em 2019, a taxa de desemprego se situava nos 6.5%, acredita-se que em 2020 registe valores de 9.5% descendo para os 7.5% em 2021.

A Comissão Europeia aponta ainda para uma baixa taxa de inflação em Portugal.

Segundo os dados da Previsão Económica da Primavera, em 2019, a dívida pública portuguesa foi de 117,7% do PIB nacional e em 2020 subirá para 131.5%. Para 2021, prevê-se que a dívida portuguesa seja de 124.5% do PIB.

COMEÇAR A INVESTIR
Sobre o Autor:
Produtora de Conteúdos - Jornal da Moeda

Começou o seu percurso como atleta de alta competição. Em 2015 foi eleita vereadora no projeto "Jovem Autarca" de Santa Maria da Feira e desde então que se mantém presente nas iniciativas municipais.

Atualmente exerce como Auditora Interna no Banco BAI.