fbpx

Recuperação Histórica do S&P 500 após a retração do Covid19

Recuperação Histórica do S&P 500, sendo um dos mais amplos e importantes índices dos EUA, subiu na terça-feira, fechando em 3.389,78 – cerca de três pontos acima do recorde anterior, definido em 19 de fevereiro.

Outros índices dos EUA também se recuperaram. O Nasdaq bateu outro recorde depois de superar a alta anterior de junho, enquanto o Dow Jones Industrial Average está a ser transacionado perto do seu recorde de fevereiro.

NYSE: Recuperação Histórica do S&P 500
New York Stock Exchange

As ações dos EUA estão numa trajetória acendente desde 23 de março, a partir do momento em que o banco central dos Estados Unidos anunciou uma série de medidas de apoio a economia sem precedentes.

A economia dos EUA sofreu a maior contração em décadas, foi o declínio mais profundo desde que o governo começou a manter registos em 1947 e três vezes mais grave do que o recorde anterior de 10% estabelecido em 1958.

Crecimento da Economia dos EUA
Crecimento da Economia dos EUA
Fonte: US Bureau of Economic Analisys

Mas quando a pandemia se instalou e os mercados afundaram mais de 33%, uma rápida recuperação do mercado parecia quase impensável, disse William Delwiche, estratega de investimentos da Baird.

Ele disse que a força e a velocidade da recuperação foram especialmente surpreendentes e só foi possível devido à luta contínua dos Estados Unidos para conter os efeitos do coronavírus e à constante preocupação com o estado da economia.

“Não é surpresa que tivemos uma recuperação significativa, mas nestes últimos meses continuamos essa recuperaração … Estou realmente surpreendido por estarmos a ter esta conversa neste momento”

William Delwiche

Analistas confirmam que esta recuperação se deve, em parte, aos movimentos da Reserva Federal dos Estados Unidos e a outros estímulos, como a procura, por parte de investidores, que se mostram confiantes de que a economia se recuperará e de que irão ter poucas oportunidades melhores de rentabilizar os seus investimentos do que agora nos mercados.

Embora surpreendente, esta recuperação do mercado não é sem precedentes, disse Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research.

Pelos seus cálculos, é na verdade a terceira subida mais rápida para um novo máximo para o S&P 500 depois de uma queda tão profunda desde 1929.

Economia dos EUA superaram mercados Europeu e Asiático

O FTSE 100 de Londres permanece 20% mais baixo do que a alta de Janeiro, enquanto o CAC 40 de França está cerca de 19% abaixo.

O Japão, que verificou a subida do índice Nikkei 225 para cerca de 4%, a partir da anterior alta establecida no período pré-crise, beneficiou tanto do estímulo governamental agressivo, quanto do sucesso relativo no controlo do vírus sem bloqueios em massa.

Ações da indústria tecnológica impulsionam a alta

A força incomum de recuperação dos EUA vem, maioritariamente, das suas empresas de tecnologia, como a Apple, Microsoft e Amazon, que foram vistas como vencedoras apesar das circunstâncias, juntamente com empresas em áreas de computação, o que permitiu monopolizar certas vertentes do mercado em fases da pandemia, ao contrário das indústrias tradicionais.

“Não estaríamos a admirar os valores bolsistas mais altos de todos os tempos se não fosse pela tecnologia”

Terry Sandven, estratega-chefe de ações dos EUA Bank Wealth Management

As ações dos EUA pertencentes ao setor de tecnologia do S&P 500 subiram cerca de 25% este ano, mesmo com a situação negativa de outros setores económicos.

O setor da energia, por exemplo, caiu cerca de 37% desde o início de janeiro, enquanto o financeiro caiu cerca de 20%.

Stocks EUA

S&P 500 subiu cerca de 5% desde o início do ano

Das 500 empresas pertencentes ao índice, mais de metade tem ações dos EUA negociadas com valores inferiores ao início do ano. Isto verifica-se pelo facto de as grandes empresas do índice S&P 500 estarem melhor equipadas para resistir a uma desaceleração do que muitas empresas menores.

Wall Street recuperou das últimas perdas causadas pela pandemia do coronavírus, quando o S&P 500 fechou o dia de hoje em alta.

O índice de referência terminou com um ganho de 0,2 por cento, para colocá-lo acima do recorde estabelecido em 19 de fevereiro, pouco antes da pandemia encerrar negócios um pouco por todo o mundo e levar as economias de vários países à recessão.

O S&P 500 caiu 34 por cento no início do ano, à medida que as empresas sofriam os constrangementos das restrições impostas pela pandemia e os EUA registraram uma taxa de desemprego recorde.

Em resposta, a Reserva Federal dos EUA e o Congresso adotaram medidas para impulsionar a economia que contribuiu para uma recuperação de 51,5%, causada por um aumento sustentado no preço das ações dos EUA. Assim, o S&P 500 bateu o recorde estabelecido em fevereiro, esta semana.

Deixa um comentário