fbpx

Ripple procura novas parcerias no Brasil para 2020

O projeto desenvolvido em blockchain Ripple está à procura de parcerias com bancos no Brasil no mercado das remessas de capitais internacionais já para 2020, como reportado pela agência Reuters.

Luiz Antonio Sacco, diretor-geral da Ripple no Brasil afirma que a regulação no setor do Digital Banking no país é uma das principais razões para a expansão do projeto para o Brasil, e que a Ripple está em negociações com instituições bancárias e reguladoras acerca da utilização de XRP nas remessas internacionais.

“Com os sucessivos avanços na regulação bancária brasileira para facilitar transações financeiras (…) as oportunidades aqui vão crescer bastante nos próximos anos”, disse o executivo.

Atualmente, a Ripple trabalha com os bancos brasileiros Santander, Bradesco e Rendimento. Mas apenas no que diz respeito ao uso do sistema de pagamentos por mensagem desenvolvido pela empresa. Visto que, até ao momento, nenhum dos bancos usa a criptomoeda XRP.

Esta startup fundada em Sylicon Valley, lançou o primeiro escritório no Brasil em Julho de 2019 e, de acordo com Luiz Sacco, aproximadamente 30% do volume total de transações feitos na blockchain da Ripple são detidas pelo mercado brasileiro.

A Ripple tem apostado forte na América Latina, tendo anunciado em Outubro do ano passado um investimento na Bitsu. A maior corretora de criptomoedas do México.

Segundo fontes oficiais, Chile, Perú e Argentina são também opções em mira para o desenvolvimento do negócio.

Estas parcerias podem vir a ser bastante vantajosas nas relações entre Portugal e Brasil, facilitando a vida para os portugueses com negócios no Brasil e para os brasileiros a viver em Portugal.

Sobre o Autor:
Fundador - Jornal da Moeda

Alumni das Universidades Católica Porto e FEP. Com experiência nas indústrias de mercados financeiros, criptomoedas e marketing digital.

Fundador do Jornal da Moeda.